Ensaio "Parada LGBT"

 

No arco íris, a luz do sol se dispersa e reflete várias cores diferentes. Elas se apresentam sempre juntas, lado a lado. Cada uma mantém a sua individualidade. Todas são facilmente reconhecidas como diferentes. Elas convivem de forma harmônica e é justamente nisso que reside todo o seu encanto.

Faz todo o sentido que esse seja o símbolo internacional do movimento LGBT.

A ideia da Parada surgiu em 1969, quando a polícia de Nova Iorque entrou com brutalidade em um bar chamado Stonewall, ameaçou e insultou os frequentadores (todos gays e lésbicas). No ano seguinte a data começou a ser lembrada com uma manifestação de rua e, desde então, a causa vem ganhando mais força e visibilidade a cada ano.

Assim como a deusa grega Íris, que exercia a função de arauto divino e deixava um rastro multicolorido ao atravessar os céus, os cerca de 2 milhões de participantes da Parada em São Paulo deixam um rastro colorido nas ruas da cidade. Trazem uma mensagem de alegria. Um pedido de aceitação. Um desejo de que a individualidade das pessoas seja respeitada e admirada assim como a das cores do arco-íris.

Uma festa colorida e alegre que chega às ruas justamente pela tormenta que muitas dessas pessoas ainda enfrentam no dia-a-dia quase 50 anos depois do fato que deu origem ao movimento.

São Paulo - Brasil