Coelho, ovo, chocolate: quais são as origens das tradições de Páscoa?

March 1, 2018

Vamos começar pelo nome: a palavra usada em português para designar esse dia dá a entender que a Páscoa atual é uma versão cristianizada da Páscoa judaica. Mas, em inglês e alemão, por exemplo, essa festividade é chamada de Easter e Oester, respectivamente, que derivam de “Ostara” ou “Eastre”, a deusa da manhã radiante, da luz crescente, da floração verdejante, a deusa da primavera. Vale lembrar que, no hemisfério norte, essa celebração acontece justamente no período de início da primavera (pra nós, o início do outono).

 

O nome também pode estar relacionado a Astarte, a deusa fenícia da fertilidade, que pode ter sido a responsável pelo nosso hábito de dar coelhos e ovos de presente, já que esta deusa pagã é geralmente representada na figura de uma mulher que observava uma lebre saltitante enquanto segurava um ovo nas mãos. Nesta imagem há a conjunção de três símbolos (a mulher, o ovo e a lebre) que reforçavam o ideal de fertilidade comemorado entre os pagãos. Os nossos coelhos, portanto, eram originalmente lebres.

 

O ovo, além disso, é o símbolo da vida e daí a sua conexão com o renascimento ou a ressurreição. Em algumas culturas, as pessoas acreditavam que os ovos decorados tinham o poder mágico de trazer felicidade, prosperidade, saúde e proteção. Por isso começaram a presentear-se uns aos outros com ovos cozidos, de cerâmica, de vidro, de ouro e cravejados de pedras preciosas. 

 

Quando os espanhóis conquistaram as civilizações maia e asteca, conheceram o chocolate e o levaram para a Europa. Anos mais tarde, os chefs franceses tiveram a ideia de fabricar os primeiros ovos de chocolate da história.

 

A Páscoa está chegando... Quando você for comprar ovos ou coelhinhos de chocolate, já vai saber de onde vêm essas tradições... legal né?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts relacionados
Posts Em Destaque