Uma mulher de roupa e turbante branco caminha pelas ruas de Araras com um vaso cheio de flores nas mãos. Ela participa da procissão das Águas de Oxalá.

ÁGUAS DE OXALÁ

NUM MINUTO

 

SINTA-SE LÁ

Conta a lenda que Oxalá fez uma viagem a Oyó, para participar de uma homenagem a Xangô. Durante sua viagem, Exu lhe pregou algumas peças que o obrigaram a banhar-se e a trocar de roupas 3 vezes. No final da viagem, acabou preso por engano e passou 7 anos na prisão. Durante esse período, o reino viveu a mais profunda seca e muitas doenças assolaram seus habitantes. Quando essa prisão injusta foi revogada, Oxalá foi banhado e reverenciado por todos os outros Orixás e uma nova época de prosperidade voltou ao reino de Oyó.

É por isso que, hoje, os principais rituais da festa em homenagem a Oxalá envolvem a lavagem das escadarias de uma igreja e revigorantes banhos de água de cheiro em todas as pessoas que queiram participar. Um perfume gostoso se espalha pelo ar.

 

Por ser a fonte primordial da vida, a água é usada como uma forma de purificação, um marco da limpeza do passado e uma oportunidade de um recomeço “limpo”.

Todos usam branco, a cor de Oxalá. E também a cor da pureza, do Ano Novo que está sendo celebrado nessa festa.

 

O momento de celebrar Oxalá é também o momento de celebrar as oportunidades de recomeço, do princípio de um novo ciclo que se apresenta “em branco” para que cada um escreva a sua história.​

 
 

FOTOS

MÚSICA TÍPICA

Som original da festaCaptado por Andrea Goldschmidt
00:00 / 01:46
 
 
aguas de oxala_20160131_0425_1.jpg

MITO DE OXALÁ

Um dia, Oxalá resolveu sair de seu reino e visitar o reino de Xangô, Rei de Oyó. 

 

Antes de rumar a Oyó, Oxalá consultou seu babalaô a fim de saber como seria a jornada. O babalaô lhe disse que podia ir, mas que antes de sair, deveria fazer uma oferenda a Exú, para que tudo corresse bem na sua viagem. Além disso, recomendou que ele levasse três mudas de roupas brancas, limo-da-costa e sabão-da-costa.  O adivinho aconselhou-o ainda a aceitar e fazer tudo o que lhe pedissem no caminho e não reclamar de nada, acontecesse o que acontecesse e disse que essa seria a forma de não perder a vida.

 

Oxalá ignorou o conselho do oráculo a respeito da oferenda a Exú e partiu sozinho para iniciar a viagem.

Logo no começo de sua viagem, caminhando pela mata, encontrou uma pessoa que estava tentando levantar um tonel de dendê e lhe pediu ajuda. Oxalá prontamente o ajudou. Só que essa pessoa, na verdade, era Exú que, disfarçado, resolveu pregar algumas peças em Oxalá por não ter feito a oferenda antes de iniciar a viagem. Propositalmente, derramou o dendê sobre Oxalá e saiu.

1/3

ONDE FICA?

Araras (SP)