Ensaio "Águas de Oxalá"

 

Conta a lenda que Oxalá fez uma viagem a Oyó, para participar de uma homenagem a Xangô. Durante sua viagem, Exu lhe pregou algumas peças que o obrigaram a banhar-se e a trocar de roupas 3 vezes. No final da viagem, acabou preso por engano e passou 7 anos na prisão. Durante esse período, o reino viveu a mais profunda seca e muitas doenças assolaram seus habitantes. Quando essa prisão injusta foi revogada, Oxalá foi banhado e reverenciado por todos os outros Orixás e uma nova época de prosperidade voltou ao reino de Oyó.

É por isso que, hoje, os principais rituais da festa em homenagem a Oxalá envolvem a lavagem das escadarias de uma igreja e revigorantes banhos de água de cheiro em todas as pessoas que queiram participar. Um perfume gostoso se espalha pelo ar.

 

Por ser a fonte primordial da vida, a água é usada como uma forma de purificação, um marco da limpeza do passado e uma oportunidade de um recomeço “limpo”.

Todos usam branco, a cor de Oxalá. E também a cor da pureza, do Ano Novo que está sendo celebrado nessa festa.

 

O momento de celebrar Oxalá é também o momento de celebrar as oportunidades de recomeço, do princípio de um novo ciclo que se apresenta “em branco” para que cada um escreva a sua história.

Quer conhecer a lenda da viagem de Oxalá? Clique aqui. 

São Paulo - Brasil