A imagem de Nossa Senhora Aparecida que foi resgatada do rio segue em procissão pelas ruas da cidade. A foto foi feita de cima de uma construção e, lá embaixo, vê-se a imagem sobre um andor cheio de rosas amarelas, que aparece em destaque no canto inferior direito da imagem. Ela parece flutuar sobre um rio de gente que caminha em seu entorno.

PADROEIRA DO BRASIL

SINTA-SE LÁ

Não havia peixes.

Em uma manhã de outubro de 1717, 3 homens pescaram o corpo de uma imagem de Nossa Senhora no Rio Paraíba do Sul. Logo em seguida, rio abaixo, pescaram a cabeça da mesma imagem da santa.

Suas redes ficaram cheias de peixes. A escassez transformou-se em abundância.

A imagem quebrada foi levada para a casa de um deles e colocada em um pequeno oratório. A história do milagre dos peixes foi ficando conhecida. Os moradores da região começaram a se reunir todos os sábados para rezar o terço e agradecer à santa “aparecida” das águas, pela abundância.

Abundância em todos os sentidos: o oratório se transformou em capela, a capela em igreja, a igreja em basílica. Além dos peixes, multiplicaram-se também as pessoas, as flores, as velas, os rituais de pedidos e agradecimentos. A região hoje conhecida como Aparecida do Norte, no interior de São Paulo, por fim se consagrou como o maior santuário do Brasil.

Nos dias que antecedem a festa da Padroeira, milhares de pessoas vêm em romaria para homenagear a santa. A cidade fica lotada. As lojas de lembranças testemunham a abundância por meio da venda de souvenirs. A sala das velas fica ainda mais iluminada pelos pedidos e agradecimentos. O museu dos exvotos ganha uma enxurrada de novas fotos e utensílios que comprovam os milagres atribuídos à santa. A comunidade católica reverbera o milagre original da passagem da escassez para a fartura.

 
 

FOTOS

 

ONDE FICA?

Aparecida do Norte (SP)