Um homem jovem, com cabelo moicano, tem o rosto parcialmente escondido por uma máscara de olhos de renda branca. Ele está no meio da multidão durante a Parada LGBTQIA+ e duas asas – uma rosa e outra roxa – criam uma espécie de moldura que dá destaque para o seu rosto.

PARADA LGBTQIA+

SINTA-SE LÁ

No arco íris, a luz do sol se dispersa e reflete várias cores diferentes. Elas se apresentam sempre juntas, lado a lado. Cada uma mantém a sua individualidade. Todas são facilmente reconhecidas como diferentes. Elas convivem de forma harmônica e é justamente nisso que reside todo o seu encanto.

Faz todo o sentido que esse seja o símbolo internacional do movimento LGBTQI+.

Assim como a deusa grega Íris, que exercia a função de arauto divino e deixava um rastro multicolorido ao atravessar os céus, os cerca de 2 milhões de participantes da Parada em São Paulo deixam um rastro colorido nas ruas da cidade. Trazem uma mensagem de alegria. Um pedido de aceitação. Um desejo de que a individualidade das pessoas seja respeitada e admirada assim como a das cores do arco-íris.

Uma festa colorida e alegre que chega às ruas justamente pela tormenta que muitas dessas pessoas ainda enfrentam no dia-a-dia mais de 50 anos depois do fato que deu origem à passeata.

 

FOTOS

 
 
Uma drag queen dança na avenida durante a Parada LGBTQIA+. Ela tem os cabelos pretos, bem longos e usa um arranjo de flores coloridas de papel crepom na cabeça. Ela sorri, feliz. As pessoas ao fundo estão na sombra, o que aumenta o destaque para ela

ORIGEM

Em junho de 1969, a polícia de Nova Iorque entra em um bar chamado Stonewall e, com brutalidade, ameaça e insulta seus frequentadores: todos gays e lésbicas.

 

As chamadas “batidas policiais de rotina” revoltam os frequentadores do bar LGBT+ que decidem se rebelar e, por quatro dias, formam uma grande resistência contra a polícia reafirmando seu direito de amar. Eles saem em marcha pelas ruas da cidade, brigam, gritam...

 

Um ano depois, mais de dez mil pessoas saem às ruas relembrando a Revolta e reafirmando os direitos homossexuais.

 

Vinte e oito anos depois, em junho de 1997, a cidade de São Paulo realizou a primeira Parada.

CURIOSIDADES

As Bandeiras da Comunidade

* Clique sobre a bandeira para saber a que comunidade pertence

 
 

ONDE FICA?

São Paulo (SP)