Ensaio "Boi Bumbá: Espetáculo Garantido e Caprichoso"

Parintins - Caprichoso e Garantido
Parintins - Caprichoso e Garantido
Parintins - Caprichoso e Garantido
Parintins - Caprichoso e Garantido
Parintins - Caprichoso e Garantido
Parintins - Caprichoso e Garantido
Parintins - Caprichoso e Garantido
Parintins - Caprichoso e Garantido
Parintins - Caprichoso e Garantido
Parintins - Caprichoso e Garantido
Parintins - Caprichoso e Garantido
Parintins - Caprichoso e Garantido
Parintins - Caprichoso e Garantido
Parintins - Caprichoso e Garantido
Parintins - Caprichoso e Garantido

 

A arquibancada do Bumbódromo vira um rio de águas azuis. Os reflexos de luz transformam o chão em um ambiente aquático onde dançam bichos estranhos. Ouve-se o farfalhar das folhas da floresta a partir dos movimentos e dos sons produzidos pelos brincantes. Todo o esplendor da floresta no colorido e na variedade de texturas dos figurinos.

Nas noites mágicas do Festival de Parintins, que acontece todo mês de junho, no meio da Floresta Amazônica, o deslumbramento é constante. A grandiosidade do evento é também um tributo a essa região quente e esplendorosa, onde se encontra a maior biodiversidade do planeta.

Personagens míticos, como a Cunhã-Poranga, juntam-se a figuras históricas, como a sinhazinha da fazenda, e a figuras típicas regionais, como o pajé e os tuxauas, num espetáculo que mistura as tradições do Norte e do Nordeste brasileiro: a lenda do boi recontada com o olhar dos índios e dos moradores desse ambiente amazônico.

Garantido, o boi branco com coração vermelho, e  Caprichoso, o boi preto com a estrela azul são os protagonistas desse espetáculo. A rivalidade entre eles é tão grande quanto a festa.

Exuberância, opulência, deslumbramento e magia. Celebra-se a floresta.

Ensaio "De Manaus a Parintins"

De Manaus a Parintins
De Manaus a Parintins
De Manaus a Parintins
De Manaus a Parintins
De Manaus a Parintins
De Manaus a Parintins
De Manaus a Parintins
De Manaus a Parintins

Viajar pelas estradas aquáticas da Amazônia é uma experiência muito diferente e interessante. Barcos gigantescos, com capacidade para cerca de 400 passageiros, cruzam os rios e levam as pessoas de uma cidade a outra.

Não há caminhos pela terra.

De Manaus a Parintins são cerca de 400km. 23 horas de viagem na ida, rio abaixo; 27 horas de viagem na volta, contra a correnteza. 

Calor.

Falta de espaço em meio a toda essa vastidão.

Não se pode ter pressa. O ritmo da floresta é diferente do ritmo das cidades. É ele quem dita as regras por aqui.

São Paulo - Brasil