Ensaio "O mar. O infinito. A grandeza. Iemanjá."

Uma orixá com poderes infinitos, com a força infinita do mar.

 

Uma orixá que pode ser tranquilizadora ou mortífera. Ao mesmo tempo serena e capaz de agir com uma fúria destruidora. Como o mar.

 

É preciso agradá-la. Dar-lhe presentes. Venerar a sua força infinita.

 

Essa é Iemanjá, cujos filhos e devotos, uma vez por ano, em dezembro, ocupam a Praia Grande no litoral de São Paulo para prestar suas homenagens e reverenciar a Rainha do mar, a “mãe cujos filhos são peixes”.

Nascidos fora da água, esses peixes buscam a conexão e a integração com a infinitude deste ambiente. Contemplam, dançam, reverenciam, oferecem, montam altares, acendem velas.

 

Iemanjá recebe os presentes que lhe agradam e devolve aqueles que, por qualquer motivo, não aceita. A praia e o mar são testemunhas destas suas escolhas.

 

Pra quem acredita, tudo é possível. O infinito pode ser alcançado. O mar pode ser um aliado. A mãe natureza e a mãe Iemanjá podem atender a todas as necessidades, a todos os pedidos dos fiéis devotos.

 

Uma devoção enorme como o mar.

 

Impossível não admirar a imponência da fé.

São Paulo - Brasil