• Andrea Goldschmidt

10 curiosidades sobre a Festa do Divino

Atualizado: Mai 24


1. A Festa do Divino é realizada sete semanas depois do Domingo de Páscoa, no dia de Pentecostes, quando a Igreja Católica comemora a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos.

2. A origem da festa do Divino começou quando a rainha D. Izabel de Aragão fez uma promessa ao Divino Espírito Santo para que o Rei Dom Dinis não entrasse em conflito com seu filho Dom Afonso, herdeiro do trono imperial. O desejo do imperador era que a coroa portuguesa passasse, após sua morte, para seu filho bastardo, Afonso Sanches. O conflito não aconteceu e a rainha teve um sonho que lhe indicou um local onde deveria erguer uma igreja em honra ao Divino Espírito Santo. A devoção se difundiu rapidamente e tornou-se uma das mais intensas e populares em Portugal.

3. A festa do Divino foi trazida ao Brasil pelos jesuítas portugueses e teve sua origem por qui por volta de 1550.

4. A festa começa, na verdade, um ano antes, com a escolha do festeiro. Ele será o responsável por angariar fundos, organizar e realizar a festa.


5. Para captar os recursos necessários, a Bandeira do Divino circula durante todo o ano em procissão pelas casas dos fiéis para pedir donativos para a grande festa.

6. Nos dias que antecedem a data oficial do evento, inicia-se a novena, com missa e procissão pela cidade


7. A novena é uma maneira de relembrar os 9 dias que os Apóstolos ficaram reunidos, esperando a volta de Jesus, entre os dias da Ascenção e o dia do Pentecostes. Para isso, os cristãos também se reunem, pelos mesmos 9 dias para rezar juntos e esperar a chegada do Espírito Santo.


8. Além das atividades religiosas organizadas pela Igreja, a população da cidade criou outras formas alegres de rezar que podem acontecer cantando e dançando como nas apresentações de Congadas e Moçambiques, ou por meio das artes plásticas, como vemos na decoração do Império.

9. As tradicionais Cavalhadas, encenação teatral que fala da conversão dos infiéis ao catolicismo, são uma outra maneira profana de celebrar a data. Em regiões com forte influência rural, como São Luiz do Paraitinga e Pirenópolis, o evento faz muito sucesso e junta muita gente que vibra com as peripécias dos cavaleiros enquanto leva a mensagem cristã.


10. Desde sua origem, nas festas pagãs de Pentecostes (que celebravam a chegada da primavera no hemisfério norte), a Festa do Divino é marcada pela fartura de comida, que representa a esperança na chegada de uma nova era, com igualdade, prosperidade e abundância para todos. Dona Izabel de Aragão (citada no item 2 acima) tinha o hábito de distribuir comida para os súditos no dia de Pentecostes, vem daí a tradição replicada por aqui, de distribuir comida para a população. Em Pirenópolis, a população produz as Verônicas, uma espécie de biscoito feito de açúcar, limão e clara de ovos. Em São Luiz do Paraitinga, o prato mais tradicional é o Afogado (costela cozida servida com batatas), uma comida de origem tropeira que mistura portanto, uma tradição portuguesa, com o tempero brasileiro.




Para SABER MAIS sobre a Festa do Divino de São Luiz do Paraitinga, clique aqui.


Para SABER MAIS sobre as Cavalhadas de Pirenópolis, clique aqui.




#FestadoDivino #SãoLuizDoParaitinga #SãoPaulo #Fé #Folclore #Festapopular #Festabrasileira #Pentecostes #Congada #Moçambique #Jongo #FoliadoDivino #Cavalhada #Procissão #Cultura #AndreaGoldschmidt #Devoção #Cristã #Sudeste #SãoLuizdoParaitinga #Catilicismo #Maio #DivinoEspíritoSanto

286 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo